sábado, 8 de maio de 2010

É uma vergonha!

Aqui está a prova provada de que esta é uma ilha distante, afastada, desinteressante para muita gente. Não só para muitos políticos, mas também para empresários, religiosos... e até cientistas.
Só quando aqui há um congresso, um seminário, uma conferência, é que passam por cá, para provar a nossa farta gastronomia, o bom polvo à moda do Pico, o seu vinho, a carne, o queijo e muito mais.
Nessas ocasiões, o Pico vale a pena. É uma ilha sem igual, linda, os picarotos são um povo franco, aberto...e tantas palavras mais.
Palavras, digo bem...só palavras, que as obras, vão para outras paragens.
A recente inauguração do Lajeshoping, é um caso exemplar.
O Governo, que até financiou o empreendimento, fez-se representar por um digno Director Regional.
O Presidente do Governo não teve espaço na sua agenda (Na inauguração do Compre Bem, na Madalena, esteve lá!), nem o Secretário da Economia, ou outro que fosse... Ninguém para se congratular com um dos maiores investimentos privados do sul do Pico, nas últimas décadas.
Veio um Director Regional, pessoa muito competente- diga-se em abono da verdade!
O topo do Governo passou ao lado da festa que congregou gente de toda a Ilha, filarmónicas de todos os lados, consumidores, etc, e que foi transmitida pela sempre presente Lajes TV.
Este exemplo que aqui trago, ( do Climaat parado deste 25 de Abril! ) denota quão afastada se pretende manter as Lajes e o Pico, das restantes ilhas e do mundo exterior, que começa a delinear as suas férias.
Querem mais exemplos?

21 comentários:

Anónimo disse...

Já tinha reparado que a cam estava desligada à algum tempo, não sou daí, mas gosto sempre de ver as Lajes, agora uma chamada de atenção, não é a unica que está com problemas, portanto.... vamos lá ser um bocado compreensiveis, e já agora... http://www.climaat.angra.uac.pt/WebCams/index9.htm

Anónimo disse...

Têm de compreender que somos diferentes e é essa diferença que temos que saber preservar e tirar dividendos disso. Copiar para ter aquilo que os outros têm, passamos a ser mais um. Não vamos por esse caminho, vamos sim lutar para nos fazer valer das nossas mais-valias que mais ninguém tem, querem seja gastronomia, quer seja cultura, quer seja tradições, quer seja arquitectura, quer seja Museus, etc, etc; essa diferença é que fará de nós atracção e singularidade. Apostem no que temos de melhor e deixem-se de copy-paste.

Anónimo disse...

Gosto tanto de ouvir os elogios a todas as nossas maravilhas. Isto é tudo uma maravilha mas escolheram viver noutro sitio é que tanta beleza desertificada não serve de nada.

Anónimo disse...

Em resposta ao anonimo das 23, ainda bem que alguns sairam para outras terras.Assim deram-se mais possibilidades aos que ficaram para poderem conseguir melhores empregos e aos outros para poderem ser bons investidores.Criando riqueza desenvolvem a terra onde vivem aproveitando os valares que existem.

Anónimo disse...

Por falar bem desta terra é preciso ser-se de cá e não estar cá? Acho que não, é preciso é saber valorizar, olhar e saber explorar o que temos que os outros não têm. É isso que nos diferencia, é aí que marcamos pontos pela diferença e pela nossa genuidade.

Anónimo disse...

Não estou a ver qual o problema de Carlos César não ter estado presente na cerimónia.
Fez-se representar, como acontece amiúde com muitos dirigentes mundiais.
O que interessa é que a população dispõe de uma nova estrutura que pode satisfazer as suas necessidades.
Louve-se o investimento privado, acima de tudo.

Anónimo disse...

Case in point... Ainda agora abriu um investimento a semana passada, mas dos que sairam, os que estao querem e subsidios.

Anónimo disse...

Sobre o Comendador Vieira, no site da RTP-Açores - título: "O shopping no meio do nada"; texto: "Há 9 anos, decidiram pôr mãos-à-obra, face à falta de estabelecimentos comerciais na zona da Silveira, mas adaptando soluções urbanas para esta área rural e remota sem destruir a paisagem".

Orlando Goulart disse...

Nem sequer conheço os investidores, mas se são privados é de louvar mesmo...

é preciso que as pessoas se habituem a investir sem estar sempre dependente de ajudas do governo, que podem servir para dar um "empurrão" mas têm de ser limitadas no valor e no tempo....

parabéns pelo novo espaço... no meu caso pessoal, quando aí estiver, já não preciso ir para a Madalena tantas vezes....

Anónimo disse...

É uma vergonha, sim srº., já não há assuntes para se postar?

Anónimo disse...

LEPRATECOMA foi a banhos. Espero que volte revigorado.

Anónimo disse...

Uma grandessíssima vergonha é que se está a passar no antigo campo da bola. Na Madalena lutaram para tirar da periferia a britadeira que lá tinham, aqui põem-na bem no meio da vila a dar nesta altura do ano as boas vindas aos turistas e emigrantes que nos visitam. E está tudo caladinho porque não se passa nada!

Manuel Ferreira disse...

O quê?! Não me digam que instalaram uma britadeira no velhinho campo de jogos!??? Mas isto está tudo doido! Estou como S. Tomé...

Anónimo disse...

Afinal o que se passa?
Já acabaram as eleições, e agora parece que não há novidades!
Há um mês que não sabemos nada do que passa na Vila.
O lar para idosos já abriu?
Lajense Longe.

Manuel Ferreira disse...

Lajense longe: O Lar não abriu, mas vai abrir, a Filarmónica não tem nova Direcção, mas vai ter, a zona balnear da Maré perdeu a bandeira azul e o mercado de peixe continua a ser num contentor. O antigo campo de futebol (dizem) está tranformado em britadeira, mas vai deixar de o ser (estaleiro). A Delegação Marítima reabriu (com direito a cerimónia de inauguração e tudo) mas só funciona dia sim, dia não (ou será dia sim, dois dias não?)... Os Santos estão à porta e a Festa de Lourdes vem já a caminho (esperamos que haja alguém com tomates para acabar com o fogo de artíficio e com a vinda de alguns grupos de fora que levam coiro e cabelo e pouco, ou nada, deixam).
Remato com um poema de Manuel Alegre, intitulado "O Deus":
Há na montanha um deus desconhecido
um deus que não tem voz mas não se cala
seu silêncio é de fogo mal contido
seus sinais são mistérios e se fala há um tremor de poema pressentido
Rumor e ritmo que ninguém dedilha
eu sei que a terra treme e não se sente
há um coração que bate e que fibrilha como um verso a pulsar que de repente
se descobre no Pico e é do deus da ilha.

Anónimo disse...

Gostava deste "blog", todos os dias vinha a ele. Nunca faltava assunto. Falavam de tanta coisa e sempre actualizada. Como diz o anonimo do dia 3, depois das eleições ficou diferente, tanto tempo ausente e perdeu os assuntos. Faço votos para que recupere o seu espaço e encontre assuntos para divulgar sobre uma terra que não morreu.

ramiro disse...

So mesmo nesta vila uma filarmónica não ter direcção não se fazer eleições e estar-se à espera de alguem que vem para ca viver para ser presidente.

Manuel Ferreira disse...

Pois é, caro Ramiro. E o pior será se esse alguém se tranforma num qualquer D. Sebastião, que haveria de voltar numa manhã de nevoeiro...

Miguel disse...

Só alguém que tivesse perdido completamente o tino é que instalaria uma central de britagem no antigo campo de futebol.

Tragam para aqui informações verdadeiras e comentários que puxem pela vila e não o contrário.

Miguel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
H.M.S. disse...

Alguém comentou anteriormente que não postam notícias no blog. Pergunto eu, que sou tolinha, será que querem notícias ou mexericos? E porque será que o autor do blog não faz triagem aos comentários aceitando -os todos de modo a incentivar a maldicência? Dar opiniões e criticar de modo construtivo e sem visar a vida pessoal de uns e outros é aceitavel, e isso sim, permite avançar e ter qualidade de vida.